Organização financeira para fotógrafos: tudo o que você precisa saber

mão com dinheiro levantado - organização financeira para fotógrafos

No momento em que você toma a decisão de viver de fotografia, é importante trabalhar sua mentalidade. Afinal, é preciso entender que agora você é uma empresa. Com a prestação de serviços, você se torna um negócio e é necessário alguns cuidados, principalmente na organização financeira. Assim, você consegue manter seus lucros e evitar dívidas, principalmente na fotografia, onde o investimento é alto. Pensando nisso, separei aqui algumas dicas de organização financeira para fotógrafos pra você anotar e começar a colocar em prática!

A importância de ter uma boa gestão financeira na fotografia

Se você gasta tanto com equipamentos, programas de edição, computador, cartões de memória e pilhas para trabalhar, com certeza você vai querer ver essa grana voltando com lucro. 

Para uma empresa ter crescimento – principalmente acelerado – é importante ter as dívidas controladas e retorno dos investimentos com margem de lucro. Se não você se enrola e acaba pagando pra trabalhar. Logo, se você não consegue manter esse controle, acaba aplicando sua força de trabalho, esforço e dinheiro em uma empresa que não vai te dar retorno.

A organização financeira para fotógrafos também possibilita a criação de uma reserva financeira que pode ser utilizada em momentos de faturamento baixo, emergências, gastos inesperados – que não foram previstos no planejamento.

Mas, quando não existe organização, você perde controle de quanto entra e quanto sai das suas contas, não tem noção do seu faturamento e pode acabar se endividando.

Por isso, é difícil existir lucro sem organização financeira, já que não dá pra ter ideia se você realmente está recebendo mais do que está gastando.

Organização financeira para fotógrafos: 4 passos para melhorar

Nesse momento, você deve estar se perguntando como fazer para implementar essa organização na sua empresa e não correr risco de passar por sufocos (talvez até precisar desistir da fotografia), né?

Mas, calma! Você não precisa ficar desesperado, batendo cabeça, se questionando por onde começar e como organizar todas as informações financeiras da sua empresa de forma correta.

O mais importante é começar! Por isso, eu trouxe os 4 passos iniciais e necessários para uma boa organização financeira para fotógrafos.

Garanto que começando por eles, você terá uma visão mais clara sobre o financeiro da sua empresa e em pouco tempo se tornará muito mais intuitivo documentar e entender essas informações. 

Depois que essa prática se tornar um hábito, além de ser facilmente realizada nos processos da sua empresa, você vai perceber a diferença que faz ter educação financeira na sua vida pessoal e na sua vida profissional.

1. Conta pessoal X Conta profissional

Isso aqui é indispensável! Você vai precisar de duas contas: uma para você e outra para sua empresa. 

Assim, você consegue separar quais são os gastos pessoais e quais são seus gastos profissionais. Dessa forma, fica mais fácil entender o quanto você está investindo na sua empresa e o quanto precisa de retorno para cobrir esses gastos com lucro. 

QUANTO COBRAR NA FOTOGRAFIA: MÉTODO SIMPLIFICADO

Isso também te ajuda a não sair gastando o dinheiro da sua empresa com seus gastos pessoais (criando dívidas para o seu negócio que não são dele).

Eu sei que é bom ver o dinheiro entrando. Mas, muitas vezes, a primeira reação pode ser a animação de sair pagando todas as dívidas ou sair comprando coisas novas. 

A educação financeira serve para entender que o lucro do seu trabalho também existe para financiar o crescimento contínuo dele. 

Sem esse crescimento constante, os gastos podem se tornar maiores do que o retorno e o dinheiro pode se tornar insuficiente para continuar investindo na sua empresa. 

2. Faça levantamentos

Esse é um passo importante da organização financeira para fotógrafos. Também é ótimo para que você analise o sucesso da sua empresa, os pontos de melhoria e se sinta incentivado para continuar fazendo seu trabalho.

Quando você faz levantamentos mensais e anuais do seu faturamento, dá pra ver de maneira significativa o tamanho do seu negócio e o retorno do seu trabalho.

Assim, você também nota quais são os meses de alta e de baixa, como pode melhorar para equilibrar sua agenda e faturamento, além de entender sua média mensal de ganho.

Nada melhor e mais estimulante do que notar que seu esforço está dando resultados.

Dica: use planilhas para anotar esses levantamentos e sempre indique de qual mês/ano são cada uma das informações anotadas.

3. Defina os custos fixos e variáveis

Definir seus custos fixos e variáveis também vai ser indispensável para fazer a precificação do seu trabalho. Precificação do serviço e organização financeira estão intrinsecamente ligados e andam juntos para o faturamento inteligente e sucesso de uma empresa.

Isso significa que tanto pessoal quanto profissionalmente, você vai precisar anotar quais são seus:

  • Gastos fixos – quando você sabe exatamente quanto vai gastar. Por exemplo: aluguel da sua casa (pessoal) e aluguel do seu escritório (profissional).
  • Gastos variáveis – quando você sabe que vai gastar mas não sabe o valor exato, só tem uma média. Por exemplo: conta de luz (pessoal) e encadernadora (profissional).

Somando seus valores fixos e a média dos gastos variáveis de cada área da sua vida, você chega no valor necessário para arcar com suas despesas, além de saber o quanto vai precisar retirar do seu faturamento para isso. Você também consegue chegar numa média mensal de lucro necessária!

4. Defina os investimentos

No que você vai investir agora para sua empresa, neste mês?

E no próximo? O que vai ser e quanto você precisa ter para fazer esse investimento?

Daqui a 6 meses, qual é sua meta? Qual será o investimento para essa melhoria?

Para períodos de curto prazo, é importante saber quanto e onde você está investindo seu dinheiro para saber qual será o gasto total e o tipo de retorno para seu negócio. 

Já para os períodos de longo prazo, a definição de metas te dá maior clareza de quanto você precisa faturar para alcançar esses seus objetivos.

Além disso, esse planejamento de longo prazo te dá a possibilidade de prever seus gastos. Logo, ele fornece uma maior segurança financeira. Afinal, você evita alguns gastos emergenciais ou inesperados.

Conheça o Fotografia como Negócio

Como se tornar fotógrafo em 2021

Se seu desejo é viver de fotografia e ganhar entre 5 e 10 mil reais por mês com sua empresa, é indispensável seguir esses cuidados com o seu negócio.

O Fotografia como Negócio é o método que criei para que você alcance esses resultados com a fotografia e cresça de forma constante, assim como eu fiz.

São 7 módulos que vão te ensinar o passo a passo de como criar e crescer um negócio na fotografia sem cair na guerra de preço. E ah, existe um módulo só sobre a parte financeira!

No módulo 4, “Precificação e Orçamento”, eu mostro como definir os valores corretos pro seu trabalho e montar seu PDF de orçamento. Lá eu também te ensino a como organizar seus gastos e planejar sua reserva financeira.

Além de ter toda essa base e explicação de forma simples e clara, eu disponibilizo modelos prontos de planilhas para precificação e finanças para download.

Quer se tornar parte dessa comunidade e receber acesso ao método e seus benefícios? Clica aqui.

Compartilhe

Deixe seu comentário

QUER CLIENTES TODOS OS MESES NA SUA FOTOGRAFIA?
INSCREVA-SE PARA RECEBER MINHA AJUDA: