Acompanhamento de Bebê na Fotografia

Esse é um dos temas mais pedidos aqui: Como trabalhar com acompanhamento de bebês?

Nesse artigo eu trouxe os detalhes principais para quem quer começar a trabalhar com acompanhamentos de bebês ou para quem já trabalha, mas não tá gostando muito de como tem feito.

Comece pensando no comprometimento

A primeira coisa que você precisa pensar quando mandar um orçamento para acompanhamento de bebês ou quando você decidir entrar nessa área é: você está se comprometendo com um cliente por 1 ano de trabalho.

(Vou partir do princípio que você vai fotografar um bebezinho com dias de vida ou meses – até um ano, tá? Digo isso pois tem quem faça acompanhamento de crianças em outras idades).

Depois você precisa pensar na quantidade de sessões que gostaria de oferecer ao cliente. Você pode trabalhar com acompanhamento mensal, bimestral ou trimestral.

Ou pode deixar o cliente estipular quantas sessões ele quer fazer, mas acho que dessa forma pode dar muita brecha pra dor de cabeça com clientes que não estão comprometidos com os ensaios.

É preciso organizar tudo isso para não deixar o seu trabalho e a sua agenda bagunçados. 

Porque às vezes o cliente fala que quer mensal, depois acha que não vale tanto a pena e pede para mudar ou deixa um espaçamento muito grande entre os ensaios, e aí você planejou ter trabalho naquele mês, se organizou, etc.

Por isso, defina um formato e explique detalhadamente no seu orçamento como funciona. 

Ah, e ter um contrato também é muito importante para ter tudo que foi combinado.

Defina uma estratégia

Caso você esteja começando é importante traçar uma meta e ter estratégia para crescer no mercado e conseguir novos clientes de acompanhamento.

No meu caso eu queria volume, pra fotografar bastante gente e assim poder treinar e ter material pra divulgar muito nesse início.

E sem muito conhecimento também sobre precificação eu cobrava pouco, mas não acho que seja algo obrigatório pra ter volume. Dá pra conseguir bastante gente sem cobrar tão barato. 

Foram dois anos fazendo acompanhamentos mensais e com essa quantidade alta de clientes. Foi uma loucura depois de um tempo, quando “eu” já tinha muitos bebês.

Durante uma época que eu cheguei a ter 15 crianças ao mesmo tempo e fazendo acompanhamento mensal isso significa que são 15 ensaios por mês.

Fora os outros ensaios e eventos que eu tinha.

Além de ser muita gente querendo horário final de semana.. Era bem complicado gerenciar e conciliar tudo no final de semana dentro da minha agenda, mas era a minha estratégia.

E aí, qual a sua? :)

Atualmente trabalho com acompanhamento de bebê de 3 em 3 meses, o que é maravilhoso, pra mim.

Cobro mais pelos ensaios e também fecho um número bem menor de famílias ao mesmo tempo, porque minha estratégia não é mais de volume.

Acompanhamento trimestral

Atualmente eu realizo as sessões normalmente da seguinte forma: 1 mês, 3 meses, 6 meses, 9 meses e 12 meses.

São cinco sessões ao longo do primeiro ano de vida da criança e a única coisa que muda é que às vezes a primeira sessão os pais querem fazer com o bebê recém-nascido, com dias de vida, ao invés de com 1 mês já.

Sessões lifestyle ou temáticas?

Depois de definir o formato, quantidade de meses e sua estratégia você precisa entender se quer trabalhar com tema ou sem tema nos acompanhamentos.

Eu trabalho com fotografia lifestyle, então trabalhar com temas não funciona tão bem pra mim e não é o que eu curto no meu trabalho. Mas é super possível construir seu nome na fotografia através de ensaios temáticos e a diversidade de temas é ótima para variar ao longo do acompanhamento. 

Ou seja: Dezembro você pode fazer sessão de natal, junho e julho faz de festa junina, abril faz de páscoa…

Você vai pensando e combina tudo com o cliente.

Aliás, super importante: se você for trabalhar com temas informe ao seu cliente se os temas são pré estabelecidos já ou se ele pode escolher e o que está incluso

É muito importante fazer isso para evitar problemas futuros com seus clientes.

E sem temas o foco continua sendo o desenvolvimento do bebê, a rotina com os pais, as brincadeiras, e você pode variar também nas locações dos ensaios.

Cronograma do acompanhamento

Depois de tudo isso, o próximo passo é fazer um cronograma básico de local/tema/estilo de sessão, para te guiar durante o primeiro ano de cada criança. 

É importante fazer isso para evitar que as sessões fiquem repetitivas ou que o cliente fique confuso demais com muitas opções.

Vou explicar melhor dando o exemplo do meu trabalho:

Eu faço a sessão de 1 e 3 meses normalmente na casa do cliente e 6, 9 e 12 externas.

E nas externas eu planejo locações bem diferentes, para ter resultados e experiências também únicas em cada ensaio.

Por exemplo: sessão de 6 meses faço em um local com bastante natureza, de 9 eu faço numa praia e de 12 meses vamos para uma locação mais urbana.

Assim consigo mudar um pouco a cada ensaio, deixando cada um deles super especial. 

Planejamento e leveza no atendimento

Organize tudo antes, assim as coisas não ficam confusas e sua relação com o cliente não se desgasta… Porque todo mês vocês vão ter que pensar juntos nas roupas, no tema (se tiver), no local, definir horário, combinar agenda…

Logo, essa organização ajuda no seu relacionamento com seu cliente.

Se toda vez é uma chatice para combinar a sessão você vai gerando uma experiência ruim pro cliente, ao invés de algo que eles vão lembrar com carinho.

Quando você já leva tudo mais organizado e definido para o cliente esse processo fica mais fácil e leve.

Lembre-se que esse período do primeiro ano do bebê é cheio de mudanças. As primeiras sessões o bebê pode ter cólicas, com 6, 7 meses a mãe pode estar voltando a trabalhar, os primeiros dentinhos do bebê estão nascendo… As vezes o bebê pode ter alguma doença comum em algum mês e com isso os pais já têm “problema” suficiente, sabe? 

A sessão precisa ser um momento de descontração, de diversão, de gratidão pela vida do filho, de fuga dessa rotina como pais passando por diversas situações que estão se adaptando…

Então, pensar no cronograma para as suas sessões é bom para o seu cliente e para você. :)

Escolha da locação do ensaio

Como comentei antes, gosto de variar no estilo das locações para dar variedade ao acompanhamento.

Uma sessão vai ser na praia, a outra em um lugar mais urbano e a outra em um lugar bem em meio a natureza, bem verde e outras duas em casa.

Pense aí agora: qual tipo de local diferente você pode colocar como opção pro seu cliente?

Com isso pré determinado, nem que seja pra você ter essa noção e deixar o relacionamento com seu cliente mais fácil, você aumenta as chances de as coisas darem certo.

Sem falar que você consegue extrair de cada sessão resultados melhores e diferentes.

E isso vai ser bom não só para o seu cliente que vai receber fotos incríveis, mas pra sua criatividade a cada ensaio e para sua divulgação também, tendo sempre ensaios diferentes apesar de com as mesmas pessoas.

Cobre com sabedoria

Pense como quer cobrar pelo seu acompanhamento.

Olha essa pergunta que recebi:

Isis, eu devo cobrar barato por ser todo mês? Ou eu tenho que cobrar menos do que a minha sessão normal, ou eu cobro o valor normal, eu tenho que cobrar metade do que eu cobro numa sessão normalmente?

Claro que só você e sua empresa vão poder responder isso de fato, porque não tem uma regra, mas eu não concordo em cobrar barato só por estar começando ou por ser todo mês. 

É legal sim ter um preço mais atrativo para os clientes fecharem o pacote com vários ensaios, mas não esqueça de calcular seus custos como empresa, a depreciação do seu equipamento e acrescentar uma margem de lucro para sua empresa continuar crescendo.

Essa é a melhor estratégia sempre! Para você não pagar para trabalhar.

Eu comecei trabalhando cobrando baixo e atendendo muita gente, como falei antes, mas não sabia precificar meu trabalho. Você que está lendo esse post já tem o meu alerta de como isso é essencial.

Depois que aprendi mudei completamente meus preços, e hoje já trabalho cobrando praticamente a mesma coisa que uma sessão normal mesmo nos acompanhamentos. 

O que vale mais a pena pra você atualmente?

Pense sempre no longo prazo e de forma ESTRATÉGICA! (Assista esse vídeo aqui! Ele vai te dar a visão que você precisa ter sobre isso.)

Algumas opções para você ver o que funciona melhor pra sua fotografia:

  • Você pode cobrar metade do que cobra numa sessão normalmente
  • Pode cobrar menos da metade (não recomendo muito)
  • Mais de 50% do que cobraria numa sessão normal 
  • Cobrar o valor normal de uma sessão, mas no final do acompanhamento entregar algo diferente como um álbum

Em qualquer uma das 3 primeiras opções, para ficar atrativo diminuindo um pouco o valor, você também pode diminuir algumas coisas para a opção de acompanhamento.

Exemplo: diminuir um pouco o tempo da sessão, quantidade de troca de roupa, quantidade de locação e/ou a quantidade de fotos entregues.

Também gosto da opção de trabalhar com um número limitado de fotos e fazer a venda de fotos extras. Mas é preciso uma estratégia boa também para não realizar uma sessão linda e o cliente só escolher a quantidade inclusa e você não ter uma boa margem de lucro depois. 

Vamos continuar?

Eu sei que existem muitos detalhinhos nos acompanhamentos e ensaios de família. 

Coisas que vão acontecendo e até aquelas questões maiores que você precisa ou vai precisar resolver sozinho(a) pra continuar crescendo.

Então quero te convidar para conhecer o Ohana, a minha comunidade de Fotógrafos de Família. 

Lá dentro você vai ter conteúdo mensal inédito sobre fotografia de família, treinamentos exclusivos, aulas de mentoria em vídeo comigo

E vai ter apoio e ajuda de todos os membros, toda a comunidade de fotógrafos de família. 

Clica aqui pra conhecer o OHANA!

Lá dentro você vai conseguir crescer muito, tanto com conteúdo estratégico, quanto dividindo experiências e compartilhando dúvidas e problemas com outros fotógrafos que estão na mesma área que você.

Nos vemos lá?

Beijos,
Isis.

Compartilhe

Deixe seu comentário

QUER CLIENTES TODOS OS MESES NA SUA FOTOGRAFIA?
INSCREVA-SE PARA RECEBER MINHA AJUDA: