Como Escolher um Sócio na Fotografia

Como Escolher um Socio na Fotografia – Guia Completo Coisa de Fotografa

Como escolher um sócio na fotografia?

Raramente um início na fotografia é perfeito. Muitas vezes você fica perdido, tem milhares de coisas para organizar, avaliar e executar, além de desenvolver seu lado técnico e criativo como fotógrafo(a).

Tem sempre aquela dúvida se vai dar certo ou não. Se o tempo que você está gastando vai valer a pena, o medo, o dinheiro investido que não tem garantia de retorno e também…

O SÓCIO!

Como escolher um sócio na fotografia? Você realmente precisa de um?

Na fotografia tem que precise ou prefira ter outra pessoa trabalhando junto, e cada empresa tem as suas necessidades.

Tem fotógrafo que não gosta de cuidar da parte de atendimento e quer delegar essa etapa e continuar fotografando e editando. Outros optam por fotografar e ter alguém que edite…

Algumas vezes um freela basta. Já em outros casos é necessário ter alguém fixo, dentro da própria empresa, fazendo essas tarefas. 

E aí entraria a sociedade. 

Essa é uma das decisões mais importantes do seu negócio. Um erro aqui e você pode ter MUITA dor de cabeça, a ponto de você desanimar da fotografia.

Ter ou não um sócio vai muito além da necessidade de aumentar os recursos financeiros no negócio ou dividir carga de trabalho.

Nesse artigo você vai ver:

1. Pontos positivos de um sócio;
2. Pontos negativos do sócio;
3. Características de um bom sócio;
4. Tipos de sociedade;
5. Legalização de sociedade;
6. Aspectos importantes de um sócio e uma sociedade e o contrato social;
7. Afinal, eu preciso de um sócio na fotografia?

Se você não tem motivos para ter um sócio, não tenha.
Fernando Trias de Bres

1. Pontos Positivos de um Sócio na Fotografia:

1.1. O sócio não é seu empregado.

1.2. O sócio alivia a carga de trabalho sobre você. Com um sócio você não precisa acumular todas as funções dentro do negócio.

1.3. O sócio ajuda a tomar decisões.

1.4. O sócio divide todos os gastos com você (em geral). Muito útil quando tem pouco dinheiro. (Pode ou não ser de acordo com a fatia do negócio que ele possui).

1.5. O sócio veste a camisa da empresa com você.

1.6. O sócio pode e deve te ajudar a se manter focado e concentrado.

1.7. O sócio diminui despesas, afinal, ele deve complementar o seu trabalho, evitando que você gaste contratando alguém.  (Continua lendo que eu explico a necessidade de um sócio ser complementar).

2. Pontos Negativos de um Sócio na Fotografia:

2.1. O sócio divide todos os lucros com você. (Sim, de novo esse ponto. Se você se preocupa em ter muito lucro, deve levar isso em consideração.)

2.2. O sócio é mais uma cabeça pensante e pode ter opiniões diferentes, atrasando ou precipitando decisões. (Sim, pois em alguns negócios e com determinados tipos de pessoa isso pode ser fatal)

2.3. O sócio pode te passar a perna a qualquer momento (por isso é importante escolher muito bem e ter um contrato, mas falamos disso mais pra frente no post!)

2.4. O sócio também é um chefe, um líder no negócio.

2.5. Nenhuma decisão deve ser tomada sem o conhecimento e/ou o aval dele. Ou seja, você perde um pouco de autonomia.

2.6. Risco de problemas graves como desvio de dinheiro ou fraude.

PS: Não ache que o número maior de pontos positivos quer dizer que ter um sócio é sempre bom. Continue lendo!

3. Características de um Bom Sócio:

Como escolher um socio na fotografia guia completo do coisa de fotografa

3.1. Sócio deve ter caráter, ser confiável, ter boa índole, moral e valores. São características indispensáveis!

3.2. O sócio deve ter a mesma ou quase a mesma paixão pelo negócio que você. Ele precisa comprar a ideia e vestir a camisa. Uma boa dica é descobrir se ele tem aquele “brilho no olhar” quando fala ou trabalha no negócio.

3.3. O sócio precisa ser complementar. Se você não tem o conhecimento necessário, um sócio pode ajudar muito. Ele precisa ser a sua outra metade.

3.4. O sócio deve gostar de trabalhar duro e não só deixar tudo na sua mão.

3.5. O sócio deve ser capaz de conviver e aprender com erros.

3.6. O sócio deve ser melhor que você em algumas coisas.

3.7. O sócio deve ter expectativas alinhadas às suas. Crucial que os sócios esperem algo semelhante para a empresa. (Não existe ninguém que pense exatamente igual a você, e uma dica para que não haja desalinhamento é fazer reuniões sobre o tema.)

3.8. O sócio deve estar em sintonia com você e o negócio.

3.9. O sócio deve estar preparado para crescer com o negócio.

3.10. O sócio não deve ser um fanático. Ele deve acreditar no que faz e no que quer, mas não precisa ser sério ao extremo.

3.11. O sócio deve conhecer o mercado de atuação do negócio.

3.12. O sócio deve ter maturidade. (Maturidade mental.)

3.13. O sócio não pode ser vaidoso ao extremo.

3.14. O sócio deve estar comprometido.

4. Tipos de Sociedade:

4.1. Sociedades Simples – São sociedades não empresariais, organizadas pela união de duas ou mais pessoas. Podem ser formadas  por profissionais do ramo intelectual, de natureza científica, literária ou artística.

4.2.  Sociedade Cooperativa – União de pessoas com interesses e necessidades comuns. É sem fins lucrativos, mas existe benefício financeiro para os cooperados.  É instituída por meio de assembléia dos fundadores ou por meio de instrumento público.

4.3. Sociedade Anônima – Empresas com fins lucrativos, onde seu capital é dividido em ações e a responsabilidade de seus sócios (ou acionistas) é limitada ao preço da emissão das ações.

4.4.  Sociedade Empresária – União de empresários a fim de exerceram profissionalmente atividade econômica, especificada no contrato social sujeita ao Registro Público de Empresas Mercantis (Junta Comercial).

4.5. Sociedade de Cavalheiros (ou Damas eheh) – Essa é uma sociedade não legalizada que eu fiz questão de colocar aqui. Nesse tipo de sociedade não existe acordo formal. Ela só é indicada “in off” pois na verdade ela não existe. Mas talvez seja a melhor de todas.

Explico: No Brasil é extremamente chato, difícil e até caro abrir uma empresa. Fechar é pior ainda. Uma empresa nova geralmente tem pouco capital e pouco tempo para aparecer e ganhar algum espaço no mercado. É crucial que tudo aconteça rapidamente e gastando o mínimo possível. Nessa sociedade, você precisa encontrar o sócio e fazer um “acordo de cavalheiros”, onde no máximo terá um papel com as informações básicas do negócio e a assinatura dos sócios. Em alguns casos existe apenas a palavra de cada um para firmar o acordo. 

5. Legalização de Negócios na Fotografia:

Vou abordar rapidamente esse tema já que não é o foco aqui. (Inclusive, recomendo que procure um contador ou advogado para te ajudar nisso)

Para legalizar um negócio tome o máximo possível de cuidado. É extremamente difícil e caro, como falei acima, para abrir e pior ainda para fechar um negócio.

Se seu negócio exige legalização, faça isso. Se não, evite fazer isso enquanto não tem lucro suficiente.

Tenha em mente que ter um negócio é muito difícil. Não importa qual seja o tipo. Teste e coloque as coisas em prática, encontre seu público-alvo e feche seus primeiros contratos com clientes pra ter lucro o quanto antes.

Ah, você pode legalizar seu negócio se enquadrando como Empreendedor Individual. Nesse caso, você não pode ter sócios.

Veja aqui um pouco mais sobre o Empreendedor Individual aqui.

6. Aspectos importantes de um sócio, uma sociedade e o contrato social:

Como escolher um socio na fotografia guia coisa de fotografa 2

6.1. Espere que haja conflitos e discussões na sociedade. Isso é normal desde que seja saudável e para o bem do negócio.

6.2. Sociedade pela amizade ou parentesco? Nunca escolha um sócio apenas por ser um amigo ou parente seu. Nunca!

6.3. Sobreposição de papéis: Quando os sócios tem o mesmo perfil, as atividades se sobrepõem e conflitos sérios podem acontecer.

6.4. Quem trabalhou mais? Quando um sócio começa a trabalhar demais e se compara com outro sócio. “Eu mereço mais, pois trabalhei bem mais do que o fulano”. 

6.5. Divisão de lucros e despesas. No começo é tudo muito bonito, na maioria das vezes as despesas são divididas tranquilamente, enquanto o lucro é baixo ou zero. Quando o lucro começa a aumentar você deve ter uma base que defina bem o quanto cada um ganha assim como deve definir quanto cada um gasta.

6.6. Uma sociedade é igual a um casamento. Você passa muito tempo com seus sócios. Às vezes até mais que com sua família. Os sócios querem o melhor para o filho (o negócio).

6.7. Ao elaborar o contrato social você deve prever situações e especificar o desfecho de cada uma. Faça um contrato amplo, com anexos e que seja tudo bem claro. Evite problemas.

6.8. Tenha um advogado e um contador de confiança. Pergunte a amigos e familiares ou busque na internet. Antes de contratar alguém se certifique que esse profissional tenha valores éticos alinhados ao seu e que ele entenda um pouco sobre o que se trata o seu negócio na fotografia.

6.9. A lei permite que um sócio seja excluído de uma empresa por justa causa. Basta que isso esteja no contrato social e o sócio coloque em risco o andamento do negócio.

6.10. Um contrato social deve conter uma cláusula de dissolução de sociedade que seja amplo. Não especifique os motivos de dissolução, pois você não pode prever como as coisas podem se desenrolar futuramente. Caso contrário, você abre brechas que podem impedir uma dissolução que não seja amigável, por exemplo.

6.11. Dê muita atenção ao contrato social (se fizer um). Falando claramente, se você deixar alguma coisa fora do contrato é porque há permissão. Você tem uma brecha. Portanto, cubra as possibilidades e não feche nenhuma.

7. Afinal, você precisa de um sócio na sua fotografia?

Faça uma avaliação de seu negócio e de você mesmo. Agora vamos para o checklist de como escolher um sócio na fotografia:

A resposta final precisa ser SUA depois de algum estudo e muito tempo pensando sobre isso.

7.1. Você tem problemas para fazer seu negócio na fotografia crescer?

7.2. Você tem medo ou algum problema para empreender sozinho? (Sim, você está empreendendo, não é só fotografando)

7. 3. Tem excesso de trabalho? Ou seja, está sobrecarregado?

7.4. Você sabe trabalhar em equipe?

7.5. Você não vê problemas em dividir um negócio e seus benefícios, desde que seja para o bem dele?

7.6. Seu negócio precisa de uma injeção de capital?

7.7. Sem um sócio e seus benefícios seu negócio pode quebrar ou não acontecer?

7.8. Você e seu negócio precisam de alguma habilidade específica que você não domina? Ou seja, você não tem o conhecimento necessário para alguma função e precisa de alguém que complemente seu trabalho? (Por exemplo, se você é uma pessoa muito criativa e pouco “business”, pode ser interessante ter um sócio.)

7.9 Você está pronto para lidar com um “casamento”?

Vale lembrar que não sou advogada!

Esse guia é feito com base em estudos e experiências pessoais minhas e do meu sócio pra te ajudar a escolher um sócio na fotografia.

Pode ser que alguma informação mais específica de legislação não seja mais válida ou não esteja 100% correta por causa de alguma mudança de lei, que pode mudar a qualquer momento. Se for o caso, peço desculpas e que me avise e o post será atualizado.

Já encontrou seu sócio? Você precisa mesmo dele?

Me conta aqui nos comentários as suas dúvidas sobre isso!

Beijão,
Isis.

Compartilhe

Deixe seu comentário

QUER CLIENTES TODOS OS MESES NA SUA FOTOGRAFIA?
INSCREVA-SE PARA RECEBER MINHA AJUDA: