Como configurar sua câmera DSLR: um Guia Completo

Configurações de câmera DSLR

Tá com a câmera novinha aí na mão, já leu o manual, mas ainda não sabe como configurar a Câmera DSLR e o que fazer primeiro antes de começar a fotografar?

Nesse artigo, eu vou te explicar as configurações mais importantes da DSLR, compartilhar alguns truques e o que eu costumo usar pra fazer minhas fotos.  

7 passos para configurar câmera DSLR

Pra ajudar a configurar sua DSLR, eu separei os 7 primeiros passos que você deve seguir para fazer as melhores fotos com ela. 

1. Fotografe em RAW

O primeiro passo é checar se o formato de arquivo está em RAW. 

E por que isso é tão importante? O RAW é o formato bruto, que tem todos os dados captados pela câmera. Pra você ter uma ideia, os níveis de luminosidade dos arquivos em RAW são literalmente milhares de vezes maiores que os níveis de fotos em JPEG, por exemplo. 

Já que o RAW preserva todos os dados da cena, você não precisa nem ajustar os controles de imagens (Pictures Controls), como Contraste, Saturação, etc… Pode manter um padrão, sem mexer em nada. 

Como esse formato deixa os arquivos mais pesados, se a sua câmera tiver a possibilidade de comprimir os arquivos em RAW, selecione sempre a opção Lossless Compressed pra diminuir o espaço que suas fotos ocupam no cartão de memória.

2. Selecione o modo da câmera

Na hora de configurar a sua câmera DSLR, assim que você liga, é preciso selecionar o Modo da Câmera.

Existem várias possibilidades além do Manual e do Automático naquele menu giratório que fica na parte de cima do equipamento. 

Entenda pra que servem alguns dos principais modos que você pode explorar: 

  • M é o Modo Manual. Nele, você tem o total controle das configurações e é o que eu recomendo. Mas, você precisa dominar a técnica e entender o Triângulo de Exposição pra ter segurança nesse modo!
  • No Automático (o ícone dele pode ser diferente de acordo com o modelo da câmera), o sensor lê e regula a luz, tentando manter o fotômetro zerado. Você não precisa mexer em nada, pois a câmera vai configurar automaticamente.
  • A é o Modo Av. Ao usar esse modo, você vai ajustar só o diafragma e a câmera vai cuidar da velocidade.
  • S é o Modo Tv, e apenas a velocidade do obturador pode ser ajustada. As outras configurações são automáticas. É o modo mais usado por quem precisa fotografar um momento específico de muito movimento, muita velocidade e não pode depender da mudança de luz. 
  • No Modo P é possível alterar o ISO, deixando para a câmera os ajustes de luz, velocidade e abertura da foto.

Pega sua câmera, ajusta a configuração e testa pra treinar e ver o que melhor funciona pra você!

3. Configure o espaço de cores

Pra definir o nível de qualidade das suas fotos, você precisa configurar o Espaço de Cores, que é o universo de cores que podem ser representadas nas imagens. 

Quais são as opções então?

As câmeras enxergam dois espaços: o sRGB, que tem menos cores, e o Adobe RGB, que possui uma infinidade de tons e, por isso, é mais indicado como padrão para fotos profissionais, com qualidade melhor.

Na sua câmera e pra imprimir, use sempre o Adobe RGB! Mas pra fotos que vão pra Web, você pode tranquilamente usar apenas o sRGB.

4. Selecione o modo de disparo

Na hora de configurar a câmera DSLR, a Opção de Disparo vai determinar o que o seu equipamento vai fazer quando você apertar o botão. 

Existem vários Modos de Disparo, dependendo do modelo da sua câmera. Veja os principais:

  • Disparo Único: como o nome já diz, ao apertar o botão, será feita apenas uma foto por vez.
  • Disparo Contínuo com Velocidade Baixa: à medida que você aperta o botão, a máquina faz takes em série, rendendo até 3 fotos por segundo.
  • Disparo Contínuo com Alta Velocidade: esse é o modo turbo! hahaha Aqui dá pra fazer até 3 disparos por segundo. Perfeito pra fotos em movimento!

Eu amo usar o disparo contínuo pra garantir os movimentos e também as expressões

Isso ajuda muito a ter melhores opções na edição e poder decidir qual foto ficou perfeita! Mas cuidado pra não abusar e lotar seu cartão de memória, tá? O disparo contínuo é pra situações específicas!

Esses mesmos tipos de disparos podem ser configurados pro modo Silencioso, pra você não ouvir o som dos cliques. Basta selecionar as opções que aparecem a letrinha S.

Outros modos também incluem opções de temporizador, pra disparos em 2 ou 10 segundos após o clique. 

Vale lembrar que alguns ícones e botões variam de acordo com o modelo da sua câmera, tá bem? 

Também é importante saber que nem todo modelo de câmera DSLR vai ter todas as opções faladas aqui nesse artigo.

5. Ajuste o foco

Outro ponto muito importante na hora de configurar a câmera DSLR é o ajuste de foco

Existem modos diferentes de foco e cada um pode te ajudar a chegar mais rápido no seu resultado. 

Pra quem fotografa mais retratos e produtos, fazer o foco no modo manual pode ajudar bastante.

Já pra quem trabalha com evento ou criança, eu indico deixar o foco no automático mesmo porque tudo acontece bem mais rápido e com mais movimento.

Pra ter mais nitidez nas fotos de movimento (tipo um casal correndo de mãos dadas), eu indico usar o modo AI Servo, que acompanha a cena com mais facilidade.

6. Configure o balanço de branco

Você já percebeu que algumas fotos são mais amareladas ou ao contrário, mais frias, azuladas? Isso tem a ver com o balanço de branco!

Ele corrige a coloração das fotos, pra que as cores pareçam mais reais e precisas. É a configuração chave pra chegar no tom que você quer pra suas fotos. Antes de mexer no White Balance, você precisa analisar a iluminação do ambiente, porque ele vai variar de acordo com o local, o horário e o clima no dia.

Você pode deixar sua câmera no modo Balanço de Branco Automático e ela escolher a definição para a melhor qualidade de imagem, mas não é o que eu recomendo se quiser se tornar um fotógrafo profissional de sucesso. 

As câmeras têm várias opções no balanço de branco, como: luz do dia, incandescente, sombra… De forma beeeem básica, simples e didática: quanto mais alto o número, mais amarelada a foto. Quanto mais baixo, mais azulada.

Porém, essa configuração também varia de acordo com o local. Esse é um dos principais motivos do porquê eu não indico o uso do balanço de branco automático.

Então analisa as características do ambiente, mexe no Balanço de Branco e vai treinando até descobrir o que melhor funciona pro estilo de fotografia que você gosta.

7. Ajuste o triângulo de exposição (ISO, Diafragma e Obturador)

O que você também precisa fazer antes de começar a clicar é ajustar o Triângulo de Exposição

O ISO, o Diafragma e o Obturador precisam ser configurados “juntos”. Cada configuração deve combinar com a outra para chegar no efeito que você deseja. E não existem números exatos, pois os ajustes dependem de onde você está, se é uma foto em movimento, se tem muita ou pouca luz…

No obturador, eu não recomendo usar menos de 100 ou 150 de velocidade, porque qualquer movimento um pouquinho mais rápido (de um bebê, por exemplo) já vai deixar a foto borrada. Quanto mais movimento, maior deve ser a velocidade também. E quanto mais alta a velocidade do obturador, mais escura será a sua foto. 

O ISO tem relação com a sensibilidade do sensor da câmera. Quanto maior, mais claridade vai chegar pra sua imagem.  

Porém, o ISO muito alto pode deixar sua foto com ruídos, e isso varia de acordo com cada equipamento. Esse é um fator que encarece as câmeras mais recentes do mercado, porque elas estão permitindo ISOs cada vez mais altos sem comprometer a qualidade.

Sabe aquele número que está na sua lente: 3.5, 4.5, 2.8

Isso é a abertura do diafragma. Quanto menor esse número, menor será a área de nitidez na foto e maior o desfoque. Além disso, quanto menor esse número, mais clara vai ser a lente.

Então, quanto maior o valor da abertura, além de uma foto mais escura, você vai ter uma foto mais nítida e com menos desfoque.

diafragma de câmera dslr

Percebe como são muitas variáveis? Então testa e vê o que fica melhor em cada situação, tá bem?

Agora que você aprendeu a configurar sua câmera DSLR, é hora de explorar as possibilidades! 

Veja aqui no Coisa de Fotógrafa as 12 melhores técnicas de fotografia profissional que, além de melhorarem e diversificarem suas fotos, expandem seu repertório e treinam seu olharpra ter fotos incríveis, mesmo que você não tenha a melhor câmera do mundo.

Compartilhe

Deixe seu comentário

QUER CLIENTES TODOS OS MESES NA SUA FOTOGRAFIA?
INSCREVA-SE PARA RECEBER MINHA AJUDA: